quinta-feira, 29 de abril de 2010

Meu filho come sua irmã


Meu nome é Luiz Alfredo tenho 42 anos e moro com minha mulher Izadora, 39 anos e nossos dois filhos, meu filho Lucas e Luciana, de 20 anos.
Luciana é uma linda mulher, mais ou menos 1,65 m de altura; rosto angelical; olhos verdes; cabelos negros e lisos; seios médios e durinhos, cinturinha fina de quadris largos formando um corpo violão, pois sua bundona é exageradamente grande, redonda e arrebitada.
Até algumas semanas atrás via Luciana apenas como filha, mas depois do que descobri, passei a vê-la como uma fêmea pronta para ser fodida!
Tudo aconteceu há três semanas. Nós tínhamos uma vida normal, típica família harmoniosa. Luciana sempre tratou o Lucas com muito carinho, pois era seu único irmão e ainda por cima, mais novo que ela. Nada de mais, até aí.
Mas certo dia voltando do trabalho mais cedo, não vi ninguém em casa. Estava indo para meu quarto quando percebo que tinha alguém lá. Curioso, fui chegando devagar, abri um pouco a porta, pois estava apenas encostada e espiei. Nunca esquecerei a surpreendente e deslumbrante visão que tive: minha filha Luciana estava completamente nua e de joelhos passava um pauzão enorme no meio dos seus seios. Petrificado pela imagem da minha própria filha fodendo em minha cama e hipnotizado pela sua beleza, fiquei ali estático, sem conseguir ver o dono do cacete, pois minha filha estava na frente dele.
Mas de repente eis que apareceu o dono da enorme vara e era... era meu filho Lucas vindo de trás de Luciana! O meu filho de apenas 14 anos estava ali prestes a foder uma puta de 20 anos, e o mais incrível é que essa puta era sua própria irmã! Nunca pude imaginar isso!
Eu pensei em entrar no quarto imediatamente e acabar com aquilo, mas alguma coisa sem explicação me segurou, e eu que não trepava havia mais de um ano, comecei a gostar da cena e meu pau começou a crescer. Nunca tinha estado com tanto tesão. Minha filha era perfeita! Eu nunca tinha me atrevido a pensar em Luciana como mulher e ali estava aquele mulherão, com aquela bundona grande e perfeita com uma minúscula marquinha de biquínis.
Eu não agüentei, comecei a alisar meu cacete, enquanto me deliciava com a cena que se desenrolava na minha cama. Minha filha agora estava segurando cacete do irmão que era enorme apesar de seus 14 anos, começou uma espanhola. Movimentos rápidos que meu filho pediu para ir devagar, senão iria gozar rápido. Luciana obedeceu e iniciou um deliciosa chupada nele.
Ela começou lentamente, mas foi aumentando a velocidade até quase fazê-lo gozar na sua boca carnuda. Ficaram assim por alguns minutos até que Luciana parou.
Lucas perguntou o porquê da pausa. Deu para notar um sorriso sacana no rosto da vagabunda, continuei onde estava, pois coisas ainda iriam acontecer. Com efeito, logo em seguida ela sentou em uma cômoda que tem no meu quarto, abriu as pernas e pediu para seu irmãozinho chupar sua bocetinha. Eu nunca tinha visto uma boceta tão carnuda e linda quanta a que eu estava vendo ali, era um espetáculo mesmo e o sortudo que comia aquela preciosidade era meu filho! Com apenas 14 anos ele já desfrutava de tudo aquilo, safado sortudo!
Lucas começou com uma lambida que evoluiu para uma bela chupada. Notei que Luciana estava mordendo os lábios de tanto tesão, de repente começa a gemer feito uma puta ao mesmo tempo em que ofegava abundantemente. O gemido dela era uma delícia, mais ou menos assim: “aaahhh, aaaaiiiiii, aiiii ahhhhh... uiiiiii, uiiii”... percebi que ela gozou fartamente, mas, pelo visto ainda queria mais! Ela se levantou e deitando-se na cama abriu as grossas coxas expondo por completo aquela xoxota perfeita. A seguir, pediu: “agora vem me comer meu cachorro safado, vem meter essa piça descomunal na xotinha de sua irmã, vem”...
Lucas que dessa vez estava com as pernas bambas de tanto tesão, foi pra cima dela de pica em riste e devagar enfiou tudo na boceta daquela puta. Luciana pôs seus lindos pezinhos no ombro de Lucas e de frango-assado começou a levar vara! À medida que ele foi metendo, Luciana gritava, depois passou a gemer e dizer palavrões assim: “aaahhhhh, aiiii, mete caralhudo, isso, come a putinha da sua irmã, vai irmãozinho, come esta biscate, vai seu pirralho, enfia tudo com força! Te vi crescer e agora você me come, seu canalha, aproveita porque eu não resisto ao seu cacetão gostoso, me come caralhudo, me come piçudo, fode sua própria irmã, incestuoso! Mete mais forte, mais forte, enfia tudo, aaaahhhhhh, aaaahhhhhh, aaaaaiiiiiiii, uuuiiiiiii, mete forte, mais forte que quero gozar na sua pica”...
Eu quando escutei essas palavras gozei. Segundos depois eles gozaram, Lucas encheu a boceta de Luciana de pôrra e depois de urrar como animal foi tirando a vara ainda dura e pingando da xoxota dela que ficou aberta pela trepada recém dada.
Fiquei impressionado com a cena, pois Lucas só tinha 14 anos e já gozava daquele jeito.
Depois do gozo ambos ficaram deitados por alguns segundos. Luciana se levantou e começou a chupar o pinto do irmão que estava ficando mole. Rapidamente o pau dele cresceu endurecendo. O meu pau também cresceu. Lucas dessa vez sugeriu um meia-nove e Luciana aceitou. Começaram um meia-nove e eu quase delirei. Eles ficaram assim por alguns minutos até que Luciana ficou de quatro e pediu para Lucas comer seu cú. Pôrra já era demais: o pirralho ia fazer serviço completo na gostosa da irmã. Nem eu já tinha feito isso em alguma mulher antes!
Ele com 14 anos iria fazer, e pior, com uma mulher muito gostosa. Ele disse que pegaria um creme para lubrificar o cuzinho dela, mas Luciana disse que não precisava, pois já tinha dado muito o cú e que o risco de o pau entalar era pequeno e que para lubrificar era só pegar o lubrificante da sua boceta. Ele então enfiou o cacete na buceta dela e ficou fodendo-a por trás por algum tempo, fazendo a safada gemer e gritar de prazer! Em seguida, tirou da xana e enfiou no cú dela. Eu fiquei pensando que a minha filha que eu tratava como um anjo já tinha dado muitas vezes, principalmente o cú. Enquanto isso, meu filho fodia o cuzinho de sua irmãzinha com fortes estocadas e ela gritava de prazer. Uma delícia: de quatro, com sua deliciosa bunda exposta, levando no cú com a mão na boceta, gemendo alto: “aaaaaiiiiiiii, uuuiiii, fode o cuzinho da maninha, fode, isso cachorro, aprendeu certinho, já é um macho de verdade, o meu macho, aaahh me come”... Eu gozei outra vez, mas Lucas demorou um pouco mais. Mas gozou bastante, não tanto quanto na primeira gozada, mas bastante; o suficiente para encher o cú de Luciana de pôrra. Depois da transa eles ficaram na cama conversando e me surpreenderam de novo: essa não era a primeira foda entre eles; Lucas ainda era virgem e só conhecia sexo através de filmes pornô e que fora Luciana quem o seduzira! Mas, ele gostou tanto que continuou fodendo-a todas as noites, tornando-se um amante completo. Ela confessava que depois que começou a foder com o irmão, não deu para mais ninguém, que ele a satisfazia totalmente!
Foi à partir dessa transa que passei a ver Luciana como uma fêmea e não mais apenas como filha. Decidi que mais cedo ou mais tarde eu iria fazer com ela o que o Lucas fez! E essa ocasião não demorou pra acontecer, pra ser mais exato, foi três dias depois!
Lucas e Izadora foram a uma cidadezinha próxima visitar minha cunhada, pra dizer a verdade, eu dei toda força para que eles fossem e me deixasse a sós com Luciana!
Luciana parecia adivinhar o que eu tinha em mente, pois quando cheguei do trabalho, ela me esperava usando uma roupa que deixou-me de pau duro! seu micro shortinho der lycra deixava a formosa bundona de fora e espremia sua xoxota de tal forma que a deixava partida ao meio e a blusinha mal cobria aqueles seios belíssimos e apetitosos! Jantamos conversando e rindo, tudo normal, mas eu mal conseguia conter o tesao e a vontade de jogar aquela vadia em cima da mesa e meter a vara nela ali mesmo! Mas, tinha de ter calma!
Ajudei Luciana a limpar a cozinha aproveitando para encostar “sem querer” na sua preciosa bundona, ela percebia, mas disfarçava, mas parecia estar gostando de sentir meu cacetão duro por sua causa! Meu pau é pouco menor que o de seu irmão, mas ainda assim é um belo cacete de 20 cm e bastante grosso! Ela iria gostar dele na sua xoxota, ah, ia!
Ficamos um tempo vendo TV na sala o tempo para fazermos a digestão e só então resolvemos nos recolher. Uma vez em meu quarto, dei uns cinco minutos, daí com uma desculpa qualquer pedi que Luciana fosse até lá. Despi-me por completo e com a vara em riste esperei minha filha deitado na cama de barriga para cima, a pica apontando para o teto. Enrolada em uma toalha, minha filha entrou no quarto e parou estática, a mão na boca olhando-me sem dizer nada! Pedi que ela se aproximasse e Luciana caminhou lentamente até a cama onde eu pedi que ela se sentasse. Finalmente ela conseguiu falar: “pai, o que significa isso”? Abri o jogo: disse que tinha visto-a fodendo com o próprio irmão, que tinha ficado alucinado e armara a viagem dos dois para poder ficar a sós com ela. “resumindo”, disse eu, “agora eu quero desfrutar desse corpinho maravilhoso. Se seu irmão pode, seu pai também pode, não acha justo”? Ela ficou um pouco em silêncio e retrucou: “e se eu não quiser, o que vai fazer? Contar pra mamãe, proibir Lucas de continuar me comendo”? Antes que eu respondesse, ela mesma concluiu: “o senhor pode faze o que quiser, mas não vou deixar de dar pra meu irmão nunca”.
Falei que tudo bem, ela poderia continuar fodendo com o irmão desde que desse pra mim também, mas a safada retrucou: “nem pensar, não vou dar pro senhor não! Esta boceta agora é só do Lucas, não dou mesmo pra mais ninguém”! Fiquei indignado com aquilo e resolvi apelar: com força, puxei Luciana pra cama, a toalha caiu deixando-a completamente nua em cima de mim! Ela começou a lutar tentando sair dali, mas eu fiquei por cima dela com a pica cada vez mais dura enquanto Luciana tentava em vão fechar as pernas evitando ser penetrada! Consegui abrir as pernas de minha filha e quando a cabeça de meu pau encostou na sua racha, percebi que ela estava molhada, sinal de desejos também! Por isso, ajeitei a vara na rachinha e dei uma socada penetrando-a de um só golpe! Luciana tentava bater em mim, gritava “não, não, páre, tire seu cachorro, páre com isso”, mas eu comecei a meter forte fodendo sua boceta que ficava cada vez mais molhada permitindo que meu pau entrasse e saísse facilmente! Depois de algum tempo ela continuou lutando, mas, claramente fingindo, gritando entre frases como: “cachorro safado, vou contar pra mamãe, aaaaaiii, vou contar que o senhor me fodeu na cama dela, aaahh que caralho mais grosso, pôrra, mete devagar, está gostando não é, está gostando de socar a ripa na sua própria filha”... Eu dizia: “pode contar sua cadela, pode contar, mas hoje vou te comer como mereço, tome vara sua cadela, óh que xoxota mais gostosa, tome, tome vara sua cadela”... Levantei o corpo de forma a poder ver meu pau entrando e saindo daquela xoxota apertada, era bom demais, mas ainda não era hora de gozar. Então levantei as pernas de Luciana deixando-a de frango-assado e voltei a socar a vara nela cada vez com mais força! Mesmo contrariada, ela teve um orgasmo fabuloso gritando e mexendo em baixo de mim, chamando-me de “velho safado da pica grossa”... Ainda faltava algo por isso tirei a pica da sua xoxota e rapidamente coloquei Luciana de quatro. Ela sabendo o que eu queria, encostou a cabeça na cama empinando a bundona e abrindo as pernas expôs aquela xoxota gordinha que se abriu toda. Penetrei-a de uma só estocada e segurando seus quadris, passei a foder minha filha alternando estocadas rápidas e mais devagar. Ela gritava “mete cachorro, fode sua filha velho de pau grosso, me come, era isso que queria não é, então me come, me fode na cama da minha mãe”... E eu: “grite sua pirinha, cadela safada, no fundo você queria a pica grossa de um macho maduro, pode continuar fodendo com seu irmão moleque, mas de vez em quando terá de abrir as pernas pra seu velho”... E acelerando as estocadas comecei a soltar jatos e jatos de pôrra na xoxota de Luciana que gozou de novo uivando como uma loba! Dei conta daquela cadelinha!
Tão logo saí de dentro dela, min há filha se levantou e correu para seu quarto, não queria falar nada, confessar que tinha gostado e gozado duas vezes na minha vara!
Quando Lucas e Izadora voltaram de viagem ninguém percebeu o que tinha acontecido e eu assisti aos dois fodendo naquela noite. Meses depois dessa noite, Luciana tem trepado com Lucas todas as semanas, mas já fui duas vezes ao seu quarto onde “peguei-a na marra” e meti a lenha na sua xoxota suculenta. Ela continua a fingir que não quer, que detesta dar pra mim, mas sempre goza loucamente na minha pica!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário ele é muito importante para melhorarmos cada vez mais o Blog.Se o comentario der como não enviado tente novamente é uma falha do blog, na segunda tentativa ele aceita.Obrigado!