quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Minha Irmã virou minha mulher


Meu nome é Daniel (nome fictício) e vivo maritalmente com minha irmã Alda (também fictício), tenho 26 anos e ela 25 anos. Lendo alguns contos neste site, resolvi com a permissão de Alda narrar nossa história que é um pouco fora dos padrões normais. Desde pequenos e com uma diferença de idade de apenas 1 ano, sempre fomos muito unidos; eu adoro minha irmã. Praticamente morávamos somente com minha mãe que é médica; pois meu pai devido ao seu alto cargo em uma firma vivia sempre ausente viajando e trabalhando em várias filiais espalhadas pelo Brasil e até no exterior. Tudo começou quando fiz 18 anos e ganhei uma moto 250. Eu sendo um cara pintoso, loiro, olhos azuis , bem dotado e motorizado, passei a traçar várias menininhas que gostavam de motos e sacanagem; eu sempre fui meio taradinho, tinha uma namorada fixa (Vera) que também adorava sexo. Só que um dia saindo de madrugada de uma festa me acidentei com a moto acordando somente no hospital. Lá fiquei sabendo que tinha estourado o joelho e passaria por uma cirurgia complicada. Fiquei 5 dias no hospital e fui pra casa com a perna direita engessada até o meio da coxa. Minha mãe passou a cuidar de mim, e como eu tinha dificuldade de vestir uma roupa normal ela fez um tipo de saiote (fiquei parecendo um índio de tanga) somente pra cobrir minhas partes íntimas, assim com ajuda de uma muleta eu podia ir ao banheiro fazer minhas necessidades com mais facilidade; e na hora do banho minha perna era enrolada em um saco plástico, mas mesmo assim precisa da ajuda da minha mãe, como era médica tudo parecia normal ela me ver nu. Passei a dormir no quarto de hospedes que tinha um banheiro bem maior do que o meu e com cama de casal. Minha irmã Alda, também loira de olhos azuis com seus 17 anos na época já possuía um corpinho violão; seios médios redondinhos e coxas grossas. Ela ficou super preocupada comigo e me enchia de carinhos, quando minha mãe tinha que trabalhar no hospital ela fazia questão de ficar cuidando de mim. Alda além de cuidar de mim; era uma ótima companhia, deitava na minha cama e ficávamos batendo papo ou apenas assistindo televisão. Passaram-se uns dias e percebi que minha namorada (Vera) só tinha me visitado 2 vezes, no hospital e um dia em casa logo no início, e ligou também somente 2 vezes. Uma amiga que veio um dia me visitar; muito fofoqueira, me contou que Vera sempre estava nos bailes e festas com um cara diferente; fiquei muito puto. Um dia confidenciando com minha irmã lhe contei sobre a atitude de Vera. Ela me disse que já sabia mas que não contou nada por não ser fofoqueira e não querer me magoar, e que achava que Vera não me amava e não entendia porque ela se dizia minha namorada. Eu então disse pra minha irmã que já estava entendendo tudo; Vera realmente não me amava, ela só gostava do sexo que eu lhe proporcionava. Alda ficou curiosa e me fez algumas perguntas sobre nossas transas, eu prontamente lhe respondi algumas..., e aproveitei e lhe perguntei sobre o seu namorado. Ela já bastante intima comigo me disse que tinha pedido a ele um tempo, pois ela estava insegura em relação a eles dois, eu acabei lhe perguntando o que estava acontecendo. Ela um pouco acanhada acabou me falando que ele estava pressionando-a cada vez mais sobre sexo. Eu então lhe perguntei se eles já tinham transado. Ela acabou me contando que tinham feito sexo somente uma vez recentemente, mas ele foi tão bruto que acabou machucando-a, que ele tirou sua virgindade com tanta violência que ela não sentiu nenhum prazer; então ela estava pensando em terminar, e me pediu segredo. Eu sempre respeitei minha irmã, mas aquele papo de sexo e eu sem a vários dias foi me deixando de pau duro, eu tive dobrar a perna esquerda pra esconder o volume que estava se formando debaixo do lençol. Um domingo ligaram e minha mãe foi cedo pro hospital, de lá ela ligou pedindo pra Alda providenciar o almoço pois ela só voltaria pra casa à noite. Então eu pedi pra Alda me ajudar a colocar o saco plástico na perna pra poder tomar banho antes do almoço, Alda preocupada.: - Mas Daniel!... você não pode tomar banho sozinho, espera a mamãe chegar à noite!... : Pode deixar mana!... eu tomo bastante cuidado, não se preocupe!... : - Eu não vou deixar você tomar banho sozinho!....: - Ué!... você vai querer me ajudar?... : - Se for preciso eu ajudo sim!... : - Mas você nunca me viu pelado!.... : - Ué!... o que têm??.... eu já vi o idiota do meu namorado!!!.... porque não posso ver meu irmão?.... : - Mas mana, eu estou sem sexo a vários dias, não vou conseguir controlar meu passarinho... olha só!... já está ficando assanhado...: - Deixa ele ficar do jeito que quiser, vou procurar me concentrar somente no seu banho... Então fui já com a vara totalmente reta..., sentei na cadeira e coloquei a perna engessada sobre uma outra e tirei a tanga. Alda abriu o chuveiro e logo a água bateu na minha cabeça escorrendo pelo meu dorso... Com meu corpo todo molhado Alda desligou a água e passou xampu no meu cabelo fazendo uma deliciosa massagem; meu pau já estava apontando pro teto, depois com a bucha esfregou minhas costas pedindo pra inclinar o corpo e esfregou meu bumbum..., foi pra minha frente e esfregou todo meu peito..., pegou minha perna esquerda e começou a esfregar começando pelo pé e foi subindo até minha coxa..., meu pau duro balançava perto do seu rosto..., ela fingindo a maior naturalidade esfregou meu saco e foi subindo esfregando a bucha no meu cacete.... Eu não resisti e soltei um gemido.: - Hummm mana!.... para se não eu vou acabar gozando!... : - Ué!... mas ele também tem que ser lavado, né ?...ainda mais um troço grande e grosso que nem o seu!... E continuou com carinho a subir e descer a bucha delicadamente. : - Ai mana!... já não estou aquentando!!... continua!... continua!... mais um pouquinho!. : - Você quer que eu faça você gozar????... : - Sim!... por favor!... só mais um pouquinho!... Ela largou a bucha e foi punhetando meu cacete até um jato de porra espirrar longe. Segurei sua mão fazendo com que ela não parasse e fui gemendo e soltando vários pingos de porra no chão. : - Oh Mana!... que alivio!... eu estava precisando disso... Ela ajudou a me secar, tiramos o plástico e sempre apoiado em seu ombro ela me levou pelado até a cama, quando eu deitei e me cobri com o lençol senti meu pau crescendo novamente..., é que naquele momento estava eu admirando o corpo da minha irmã tendo vários pensamentos bem sacanas, - Pô!... mais era minha irmã e eu tinha que me controlar. Fiquei uns quarenta dias com o gesso. Quando fiquei livre do gesso minha perna continuou dura, sem nenhuma mobilidade. Aí começou a fase da fisioterapia, dois em dois dias ia até minha casa um massagista pra me exercitar, e como tínhamos uma piscina no quintal me foi prescrito fazer bastante exercício também na água. Como eu continuava com dificuldade em me vestir sozinho e como o quintal tinha muros bem altos impossibilitando os vizinhos de bisbilhotar, quando tinha certeza de estar sozinho tomava banho e sauna pelado mesmo. Até que um dia minha mãe saiu cedo pra trabalhar e minha irmã saiu dizendo que ia na casa de uma colega, aproveitei e fui pra piscina como vim ao mundo. Depois de uns vinte minutos minha irmã voltou; eu já estava na sauna, ela chegou na porta e disse que tinha voltado pra tomar banho de piscina comigo e já que eu estava na sauna ela ia entrar também. Eu gritei : - Mas Alda!... eu estou pelado!!!... Ela respondeu.: - E daí!... já te vi pelado mano, não esquenta a cabeça!... No meio do vapor ela entrou vestida com um biquíni e sentou na escada um pouco superior a que eu estava e iniciamos o nosso papo. Depois de algum tempo Alda disse que nunca tinha tomada sauna nua, eu então lhe disse que se ela não se importasse comigo ela poderia experimentar naquele dia. Alda então foi tirando o biquíni, fiquei olhando seu vulto entre a fumaça e meu coração disparou e minha pica ficou toda saliente. Saí e tomei uma ducha pensando em tocar uma punheta rapidamente, mas Alda apareceu na porta perguntando se ela podia tomar a ducha, eu disse que sim e ela saiu peladona e veio na minha direção, eu saí da ducha e ela entrou molhando aquele corpo que estava me deixando louco de tesão. Voltamos pra sauna, eu sentei no mesmo lugar e ela sentou logo acima ficando com as pernas abertas me deixando no meio, posicionou seu corpo pra frente e puxou minha cabeça até encostar na sua coxa e foi fazendo um cafuné gostoso. Deixei minha cabeça inclinar pra trás e senti os pentelhos de sua vagina na minha nuca, ela continuava alisando meus cabelos e com certeza não tirava os olhos na minha pica. Até que ela falou.: - Ih! André!... você ta muito necessitado de sexo, neh?... : É mana!... não é fácil ficar quase dois meses sem uma mulher... isso é... pra fazer sexo... pois mulher e bonita eu tenho você sempre perto de mim!... : - Você quer que eu te alivie novamente?... se quiser é só pedir, você sabe que eu te amo muito e faço qualquer coisa pra você...: - Mas mana!... vontade eu tenho, mas não sei se isso seria certo!...: - Mas André!... ninguém precisa ficar sabendo, fica sendo um segredo nosso... eu também tenho os meus desejos... e nesse momento eu estou desejando fazer carinho em você meu irmão!... Desceu ajoelhando na minha frente e foi segurando a minha pica, e novamente foi movimentando meu pau com as mãos, aí me surpreendi quando ela levou a boca e beijou a cabeça do meu cacete, não satisfeita engoliu minha vara até a metade e fez uma chupeta tão gostosa que logo fui sentindo que ia ter um orgasmo, ela tirou a boca e punhetou até eu gozar bastante. Fomos os dois pra ducha e não resisti e a abracei com carinho apertando seus seios de encontro ao meu peito, ela com o rosto perto do meu senti que ela estava oferecendo seus lábios carnudos, beijei minha irmã como nunca tinha beijado outra mulher, passei as mãos em seus peitos, alisei sua bunda até chegar na sua vagina. : - Isso mano, faz carinho na minha xoxota!... sente só como ela está molhadinha, sou sua irmã mas estou sentindo muito tesão por você... Ela botou a mão no meu saco e foi mexendo delicadamente nas minhas bolas, quando minha pica endureceu novamente ela abaixou e abocanhou passando a língua na ponta me levando nas nuvens. Puxei-a pra dentro na sauna e sentei pedindo pra ela sentar na minha vara. Alda de costas pra mim segurou minha vara e foi agachando até sentir ele na entrada da sua gruta e foi arriando o corpo aos poucos. : - Huummm!...tô sentindo ele entrando dentro de mim... quero sentir ele todinho dentro na minha buceta.... haahaaaaaa!... que piroca gostosa meu irmãozinho!... Quando sua bunda encostou em mim eu segurei com a mão um dos seus seios fazendo carinho no biquinho e com a outra passei a massagear seu clitóris. Alda foi ficando alucinada, subia, descia, rebolava, gemia e gritava. Quando senti seu corpo ter um espasmo movimentei meu dedo mais rápido na sua vagina sentindo minha irmã gozando sentada no meu pau. Quando senti que não dava pra segurar, pedi pra ela levantar e logo que meu pau ficou livre gozei espirrando na sua coxa. Tomamos outra ducha e ela me beijando disse que sempre gozou sozinha, mas que aquele gozo tinha sido o mais gostoso e que eu era o homem que ela mais amava no mundo. Nos tornamos irmãos e amantes.., até que o destino nos uniu mais ainda, fizemos vestibular e passamos pra mesma faculdade (mas esta é outra história que em outra oportunidade pretendo escrever).

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Vi a Trepada e meu Irmão me Comeu!




Sempre leio os contos dos sites eroticos mas nunca pensei que um dia fosse escrever para contar uma experiencia minha para voces. Tenho 19 anos, sou morena clarinha, olhos e cabelos castanhos, 1.66 e 50 kgs. Moro na casa de meus pais, ele com 40, ela com 39, e meu irmão de 17 anos. Moramos em um sobradinho de 2 andares, classe média mesmo.

Um sábado, saí do cinema com meu namorado, ele estava a fim de uma balada mas eu não quis, estava indisposta e irritada. Estava chegando a TPM, e eu fico podre. Pedi que me levasse para casa. Me deixou na porta e foi embora.

Entrei, meus pais estavam assistindo um DVD na TV da sala e como já estava no meio do filme decidi não assistir, e subi para meu quarto. Eles ficaram na sala e eu fui dormir. Notei que a porta do quarto do meu irmão estava fechada e a luz apagada, ele tb estava dormindo.

Lavei o rosto, fiz minha higiene e deitei. Dormi quase imediatamente. Acordei um tempo depois, com sede,e resolvi ir a cozinha para tomar um suco na geladeira, estava fazendo calor demais naquela noite. Eu estava só de camiseta e calcinha, mas como achei que todos já estavam dormindo, saí do quarto para descer para a cozinha que ficava no andar de baixo.

As luzes estavam todas apagadas mas tinha um clarão na sala... ouvi uns barulhos, imaginei que meus pais ainda estavam vendoi um filme... mas tinha algo estranho...
cheguei devagarzinho no alto da escada, e de onde eu estava dava para ver a sala toda... eles estavam vendo um filme sim, mas era um filme diferente ! era um pornô !Na tela um casal quase nu se acariciava e beijava, e meus pais faziam igual no sofá... na tela os atores foram tirando a roupa, eles tb no sofá... meu primeiro instinto foi correr para o meu quarto, mas o tesão imediato que me deu me fez ficar escondida ali no alto da escadaria, olhando.

Deitei no chão e resolvi ver o que ia acontecer... preciso dizer que minha mãe é muito bonita, cuida bem do corpo e meu pai é um gatão de mais idade (muitas amigas minhas dizem que ele é um tesão).

Fiquei olhando e a cena continuava, agora os atores já estavam nus e a mulher chupava o pau do homem... na sala, minha mãe fazia igual! nem sei o que senti, um tesão enorme misturado com ciúme e medo de ser descoberta! meu coração estava a mil, fiquei com medo dele estar batendo tão alto que eles ouviriam!
Minha mãe estava ajoelhada no chão, frente ao sofá, meu pai com as pernas abertas e um pau durissimo entrava a saia da boca da minha mãe! Ficaram ali uns 5 minutos, igual ao filme... na tela, começou um 69 e no chão da sala também um casal se chupava loucamente!

Fiquei estática quando ele abriu as nadegas da minha mãe e começou a lamber o cuzinho dela! lambia e enfiava os dedos na boceta dela, e ela gemia e rebolava na cara dele, porque ela estava por cima.

Na tela, a mulher levandou e iniciou uma 'dança da garrafa' sobre o pinto do homem, e minha mãe fez igual. Nunca pensei que ela estivesse tão em forma, foi abaixando devagar e toda aquela tora do meu pai se perdeu dentro da boceta dela. Furiosamente ela subia e descia, e ele chamava ela de 'puta' e 'vadia' e ela chamava ele de 'filho da puta delicioso'.

Eu estava suando...senti algo no meio das pernas...pus a mão para ver, minha bocetinha estava escorrendo de tanto tesão... começei a dedilhar meu grelinho e enfiar um dedo na xoxota... acho que até gemi um pouquinho, estava muito bom, o clima era de muito tesão.

Quando olhei de novo para a sala, meu pai estava sozinho deitado de costas no chão, pau para cima. Na tela os amantes faziam um anal, ela de 4 e ele atraz enfiando tudo. Aí minha mãe apareceu andando nua na sala, vindada cozinha, linda e com um aerossol de chantilly nas mãos.

Ai meu Deus, o que vai acontecer??? ela sentou-se com a boceta na cara do meu pai, segurou o pinto dele com carinho, encheu ele de chantilly e começou a pagar um boquete muuito caprichado, espalhando o creme pelo pau todo... quando o pau estava todo branco de creme, ela se levantou, virou-se e agachou sobre o pinto dele... com o cuzinho !!!

Foi rebolando e gemendo, rebolando e gemendo, subindo e descendo, e logo tudo aquilo sumiu dentro da linda bunda da minha mãe! eu estava me sisiricando com os dedos na bocetinha, e de repente senti uma mão na minha bunda ! Gelei! era o meu irmão que tinha saído do quarto e me viu ali deitada, chegou devatar por tras e ficou olhando tambem a foda na sala.

Eu nem notei ele atras de mim. Ele pegou a minha mão e levou até o pau dele, eu quis resistir, ele ameaçou de fazer barulho e nos denunciar ali! Pediu, 'por favor maninha, só uma punhetinha, vai...'.

Como também não sou de ferro, e com tanto tesão que estava, segurei o pinto dele. Estava duro, muito duro, e era grande, bem maior que o do Beto meu namorado. Comecei uma punheta olhando a foda na sala e senti ele colocar a mão dentro da minha calcinha.

Tentei reagir mas quando senti os dedos na minha bocetinha, não consegui segurar o tesão e abri as pernas. Ela saiu do meu lado e foi para tras de mim, puxou minha calcinha e me deixou com a bocetinha até inchada de tesão, toda exposta. Me levandou o quadril, me colocou de quatro e começou a lamber minha xoxota por trás. Sua lingua entrava e saia da minha bocetinha e ele passeava o dedo no meu cuzinho. Na sala, minha mãe continuava a tomar no cú. E logo senti alguma coisa diferente de uma lingua, era o meu maninho encontando a cabeça do pinto no meu cuzinho !!!

Ele passava a cabeça na bocetinha e forçava a entrada no cuzinho! eu reclamei que nunca tinha dado ali, e ele disse 'tudo tem a primeira vez, abre as pernas e fica quieta"!
Meu tesão era tanto que consenti. Ele forçou um pouco e a dor foi tanta, quase gritei. Ele me pegou, me puxou para trás, me pegou pelo braço e me levou para dentro do quarto dele!

Antes, fechou a porta do meu quarto para que meus pais pensassem que eu estava lá dormindo, e uma vez no quarto dele, me jogou na cama, tirou o resto da minha camisola, e abriu minhas pernas e começou a enfiar a lingua na minha bocetinha ansiosa para levar pau!

Lembrei que na sala estavam também transando, e resolvi encarar a foda! mandei ele virar para cima de mim e iniciamos um 69 sensacional! Nunca pensei que o pinto do meu maninho era assim tão gostoso ! Cabeça grande, mal cabia na minha boca, macio, delicioso de chupar !

De repente ele gemeu alto, esticou as pernas e gozou dentro da minha garganta ! senti todo o leite quente descendo por minha garganta, e senti um calafrio na espinha, um arrepio enorme, a cabeça girando, e num espasmo, gozei !

Um gozo como nunca tinha tido, nem com o namorado anterior, nem com o atual!

Apertei a cabeça do meu irmão com as pernas e quase o afoguei com a boceta na cara!
Ficamos com medo de ter feito barulho , e ficamos quietos
em silencio. Ficamos nus, deitados juntinhos. Senti seu pau endurecendo novamente, cutucando minhas pernas. Abri as pernas e segurei o pinto dele, ele quieto, eu peguei o pau dele e começei a esfregar no meu grelinho.

Ele disse para eu parar, levantou da cama e foi até o armário. Pegou uma camisinha, mandou eu colocar nele, e quando vi aquele pinto enorme e lindo, agora já vestido e sem perigo de me engravidar, resolvi deixar rolar !

Peguei e encaminhei para dentro de mim, ele de ansiedade enfiou de uma só vez, quase gritei quando senti a cabeça do pau la no meu útero! gozei como louca só nesta enfiada. Ele sentiu que eu gozei e ficou quieto para eu acostumar com pau dentro. Começou a se mexer lentamente, entrando e saindo, e em minutos ele gozou e eu também !!

Não sei como acabou a foda lá na sala, mas a nossa ainda não acabou! depois daquela noite, eu sempre chego da faculdade mais cedo nas quintas-feiras e de noite vou para o quarto do meu maninho!

sábado, 20 de setembro de 2014

Toda noite eu e minha irmã. (verídico)


Usarei nomes fictícios, mas, afirmo que tudo que relatarei aqui é verdadeiro. Bom, meu nome é Fáison, tenho 26 anos, 1m 88c, sou mineiro, cor branca, boa aparência, superior completo, minha irmã Josy 24 anos, 1m60c um bumbum mto gostoso, pernas deliciosas, os seios são médios e durinhos, universitária, trabalha, gosta de sair à noite como todo jovem que ta na faculdade.
Tudo começou qdo eu tinha uns quinze pra dezesseis + – , e minha irmã uns catorze, eu já tinha comido algumas amigas, dormia no mesmo quarto da minha irmã, mas nunca a tinha visto ou desejado como mulher. Eu e ela nos relacionávamos bem, sempre fomos amigos, brincávamos de tirar lutinha até que numa dessas lutas, notei que qdo agarrava minha irmã eu tava ficando de pau duro, não entendi bem, mas depois daquele dia também não consegui vê-la apenas como minha irmã, comecei a desejá-la, queria comer minha irmã, me masturbava todo dia pensando nela, sonhando passar-lhe a vara. O tempo foi passando, eu ia lutando com minha irmã, já tava esfregando o pinto nela e assim foi indo, só esfregando e depois eu batendo punheta. À noite eu ia até sua cama e passava a mão na suas pernas lisinhas, ficava passando a mão nas suas coxas, o meu pinto ainda de adolescente parecia que ia explodir, fui ficando mais ousado, agora já passava a mão por toda a perna, chegando na xoxotinha, eu ficava ali louco pra pular naquela bunda maravilhosa, passar meu pau na entrada de sua xoxota, chupar ela todinha, mas eu tinha mto medo da reação dela, não sabia como seria e por isso me continha, ficando só na punheta mesmo. O sono dela era profundo, ás vezes ficava deitado do seu lado passando a pica nela, nas coxas lisinhas, como era gostoso, assim foi indo, continuamos as brincadeiras de lutinha, ficava me esfregando cada vez mais e ela tava deixando, agarrei na sua cinturinha fiquei bombando na sua bundinha, não agüentei, mostrei me pau pra ela, ela levou um susto e tapou o rosto. Depois disso, queria brincar sempre com ela, se a via deitada pulava em cima, mas, ela não deixava passar a mão nela, na sua xoxota, seu cuzinho, nada, o engraçado que ela queria sentir só meu pinto nela, não dizia nada e assim foi até que ficamos mais velhos, ela já tinha 18 e eu 20 qdo mudei de cidade para fazer faculdade, eu estava adorando, mta mulher gata, eu ia as festas e pegava sempre uma putinha universitária ou nativa mesmo. Depois comecei a namorar e parei com o esfrega esfrega com minha irmã durante um bom tempo. Depois que eu e minha namorada terminamos fiquei um período se namorar sério, aí a gente fica sem sexo disponível e tem que sair na captura que nem sempre da certo, vcs sabem. Qdo ia passear na minha cidade lá estava maninha, cada vez mais gostosa, comecei a lembrar das vezes que peguei ela, o tesão pela minha irmã voltou ainda mais forte. Teve uma noite que sua camisola subiu e ficava aparecendo toda sua bundinha e uma calcinha preta, (gente, não sei explicar, que tesão, que delícia de irmã), decidi que teria de comê-la qualquer jeito. Comecei tb a me mostrar pra ela, eu ficava com a porta do quarto meio aberta deitado na cama batendo punheta, qdo ela passava pelo corredor dava pra ela ver meu pau até rachando de duro, comecei o por meu pau sempre a mostra pra ela, voltei a freqüentar seu quarto e ficava passando a mão nela. Teve uma vez num fim de semana que fui pra casa, voltei ao seu quarto, ela tava dormindo com um shortinho minúsculo que mostrava um pedacinho de sua bunda gostosa, eu fiquei maluco vendo sua bundinha empinada e eu sem poder fazer nada, o risco era grande, meus pais dormiam no outro quarto, máximo era passar a mão mesmo e foi o que eu fiz, suas pernas que estavam todas de fora, fui passando a mão subindo até as coxas, caros leitores e que coxas, ficava me masturbando com a outra mão, sonhando um dia fudê-la, meter meu pau todinho nela, resolvi explorar sua xoxota, o tesão tomou conta de mim, cheguei sua calcinha pro lado e comecei a acariciá-la, fiquei passando a mão no seu grelinho fazendo movimentos circulares, fiquei ali uns cinco minutos até gozar violentamente. Depois deste dia eu só pensava em fuder minha irmã, mas, como tinha de voltar para estudar ficava mto pouco em casa e as chances eram bem menores. O tempo passou um pouco sem que nada além disso acontecesse, era só à noite e nada de penetração, ela fingia que tava dormindo e eu ali só na fissura. Tinha vez que nem isso ela deixava, mandava eu sair do quarto, mas nunca desisti de comer minha irmã. Meus pais se separaram eu me formei, voltei a morar na mesma casa dela já faz um ano e o tesão que acho que nunca se apagou estava ainda mais aceso, sempre vendo ela ali com as pernas de fora, vendo-a de calcinha, todo dia batendo punheta pensando nela. Pensei comigo, tenho de comer essa mulher de qualquer jeito, continuava a visitar seu quarto principalmente nos fins de semana que ela chega da rua cansada depois de tomar umas bebidas o seu sono fica mto pesado e eu aproveito para alisá-la e às vezes vejo que ela acorda e continua deixando, pulo pra cima dela, fico fazendo movimentos de que está fazendo sexo até gozar e voltar pra cama. Comecei a querer toda noite, mas, acredito que por causa do efeito da bebida rolava mais era no fim de semana. Teve três acontecimentos que começou a mudar nossa relação e irei lhes contar agora um por um. O 1º- )Ela já sabia que eu queria comê-la, teve um sábado que eu tava em casa sozinho, era quase noite, ela chegou da rua e perguntou por nossa mãe, disse que tinha saído, ela se dirigiu para o seu quarto e fechou a porta deixando a luz acesa, passou uma hora eu estava com pensamentos de fudê-la, resolvi ir até no seu quarto e abri a porta, quase desmaiei com a visão, meu coração disparou, pois, minha irmã tava deitada na cama só de calcinha e sutiã, parecia que tinha tomado umas cervejas, meu pau ficou duro na hora, fiquei desesperado, maluco de tesão, adentrei o quarto, me aproximei dela ficando na beirada de sua cama com o pinto pra fora tocando uma punheta, a luz estava acesa e vi mto bem seu belo corpo, comecei a passar a mão nela, fui pra sua bucetinha, fiquei passando a mão, ela parou de roncar, comecei a chupar seus peitinhos, não agüentei e pulei no meio de suas pernas cutucando meu pau super duro nela, pulei na sua barriga e coloquei a mão dela no meu pau e fiz ela me punhetar, bateu uma punheta pra mim, aí tasquei-lhe um beijo e deitei sobre ela novamente pincelando meu pau na entrada de sua bucetinha, fiquei ali até gozar, e foi só. Não falamos sobre isso e nem de nada que já tinha acontecido. 2º-) Depois disso teve outro acontecimento, foi no reveillon de 2.005 pra 2.006, fui ao baile e lá fiquei com uma menina aqui da cidade, e qdo fomos embora levei ela até minha casa pra dar uma metida, gozei duas vezes e depois a levei embora, pois o dia já tinha amanhecido. Qdo volto pra casa depois de meia hora fui tomar um bom banho antes de dormi, passei pelo quarto de minha mana a porta tava um pouco aberta, eu a abri e ela tava deitada com a roupa que tinha ido no baile, fui enrolado na toalha até sua cama e passei a mão nela por cima da calça mesmo alisando sua xoxota, passei a mão com mais força ainda, desabotoei a calça e tirei-a deixando só de calcinha, deitei por cima dela, fiquei cutucando meu pau na sua bunda, na entrada da bucetinha por cima da calcinha, cheguei pro lado e pincelei sua xoxota, fiquei tentando enfiar mas, ela não deixava, se esquivava, contraia a buceta, não tinha como entrar, aquela vadia cerrava a buceta e eu não conseguia penetrá-la, o jeito era ficar pincelando, fiquei uns dez minutos assim, vi que minha irmã tava gostando, até que fui forçando a entrada e consegui enfiar a cabeça do pau, consegui enfiar mais um pouquinho, nem metade, ela pulou fora, disse que não. Pulei nela novamente e bati uma punheta encostado na sua bunda e gozei um rio de esperma, gozei mais do que com a menina que tava comigo mais cedo, mto mais. Já estava melhorando pois, já tinha conseguido colocar quase metade do meu pinto na minha mana. 3º-) Este e último aconteceu neste fim de semana passado dia 15/04/06, sábado de aleluia e foi o melhor de todos até hoje. Minha irmã ficou o dia todo fora, pois, era sábado e fim de semana prolongado, cidade cheia, creio que estava com as amigas, bom vamos ao que interessa. Ela chegou por volta das oito horas, conversamos e depois foi para seu quarto, fechou a porta e adormeceu, como vcs sabem não resisto à minha irmã, adentrei seu quarto e sem pudor nenhum, alisava ela toda, xoxota, seios, pernas, tirei sua calça jeans, deixei ela só de calcinha e camisa, ela tinha tomado umas e tava aterrisada, um prato cheio para mim, chupava seus peitinhos, tava com a mão dentro da xoxota dela passando no grelo, meu pau tava quase explodindo de tesão, notei que ela já tinha acordado, deitei do seu lado e passei meu pau nas suas coxas até gozar, que tesão, nunca senti nenhum igual, Saí do quarto pra ver se estava tudo bem e resolvi tomar um banho. Fiquei pensando na minha irmãzinha lá só de calcinha e meu pau ficou mto duro de novo, saí do banho enrolado na toalha direto para seu quarto, a visão era maravilhosa, aquela gostosa só de calcinha na minha frente era minha irmã, a sensação de proibido me deixava mais maluco ainda, pensei comigo é agora que finalmente vou comer minha irmã, cheguei perto dela voltando a acaricia-la toda, sua coxas são mto gostosas, passava a mão nela toda, tava dormindo de novo profundamente, a bebida trabalhava a meu favor, peguei na sua mão e coloquei no meu pau superduro segurando-a e fiz ela me punhetar por um bom tempo até que acordou e me punhetou sem minha ajuda, mas por pouco tempo qdo ela disse: deita aqui comigo, pulei logo pra cima dela, chamava ela de putinha, que iria come-la ali agora, enfiei minha mão debaixo da calcinha e sua bucetinha tava molhadinha, enfiei meu dedo nela arrancando-lhe um gemido, cheguei à calcinha pro lado e fiquei passando meu pau na entrada e ela que nunca dizia nada me chamava de gostoso e pedia pra mim gozar no seu cuzinho, continuei passando o pau nela forçando a entrada na bucetinha molhadinha, ela gemia e eu pedi pra ela que queria come-la, que queria colocar nela, pra ela empinar mais a bundinha coisa que fez, fui forçando a entrada mas, qdo a cabeça entrava ela não deixava mais, falei pra ela deixa eu colocar um pouquinho, e ela falava: ah, se quer colocar é, eu dizia que sim, deixa, rebola vara do seu irmão sua putinha, rebola que ainda vou te comer vadia e ela rebolava mais e mais, mas eu queria era penetrar, já tava segurando o gozo e falei se não deixar eu te estrupo, mas não tinha como estrupar pois, minha mãe tava em casa. Continuei ali daquele jeito, a bundinha dela peladinha pra mim até que meu pinto começou a escorregar para dentro chegando até a metade, ela disse na hora, oh! Entrou, entrou, eu disse: Quero enfiar tudo, ela não deixava, aquela putinha sabia me provocar, não tem sensação melhor, e fiquei colocando e bombando até na metade mesmo vendo minha irmã nuazinha na minha frente já de quatro pra mim, não agüentei segurar mais e gozei um rio de porra nela. Ela pediu, agora vai embora, eu falei que não que queria fudê-la, ela disse hoje não e também seu namorado que mora em BH tava quase chegando lá em casa e tive que sair mesmo. Esse fim de semana tentarei novamente, quem sabe dê certo.
Essa história é realmente verdadeira, como vcs viram estou quase comendo minha irmã, pois ainda não considero que comi ela. Prometo pra que qdo eu consegui fudê-la direito escreverei contando como foi.
PESSOAS QUE VIVERAM EXPERIÊNCIAS INCESTUOSAS PODEM ME MANDAR E-mail QUE RESPONDEREI A TODOS.
faisondecarvalho@yahoo.com.br

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

FLAGRA NA IRMÂ DORMINDO!

Quem nunca teve o prazer de flagrar a irmã nesta situação não tem como dimensionar o prazer do incesto entre irmãos! lembro das inúmeras punhetas que bati olhando minha maninha dormindo exatamente como na foto! sem contar das vezes que no escuro da madrugada esporrava encima do rabo e das coxas dela! saudade daqueles tempos!

 

sábado, 23 de agosto de 2014

Comeu a irmã metida KKK! muito bom!

Me apaixonei pelo meu irmão , socorro?

 

Na verdade não é meu irmão de sangue, e filho da minha madrasta, mora comigo há 1 ano e 3 meses. No começo a gente nem conversava direito, tinha vergonha, sei la , os nossos pais sempre fazendo de tudo pra nos dois nos aproximarmos, mas eu.. sei la , nunca fui a favor do meu pai namorar des de quando minha mãe morreu , então não gostava muito nem dela e nem dele, mas ... semana passada eu estava no meu quarto me preparando pra dormir e a porta estava só encostada , ele bateu e a porta abriu , ele disse ''boa noite gata'' fiquei meio assustada O.O a gente quase nunca se falava, era só bom dia, boa tarde, passa a manteiga por favor ? rsrs' a gente fica sozinhos a tarde toda, mas geralmente eu na sala ou no meu quarto e ele enfurnado no quarto dele no computador ou no video game, ele começou a ver novela comigo na sala a tarde , começou a conversar comigo , sei la, daí ontem nossos pais sairam , ele veio ate meu quarto assustado.. falado que queria me mostrar uma coisa urgente, achei que tinha acontecido alguma coisa, fiquei assustada , ele disse "CORREE , VEEM AQUII , RAPIDOOOO'' eu fui correndo atras dele , ele entrou no quarto dele, e eu na maior inocencia entrei tbm pra ver o que era, ele simplesmente me segurou pela cintura e me lascou um beijo ... eu logo tirei ele, perguntei se ele tava malucoo , ele disse que há um ano ele quer fazei isso , mas ficou sempre calado, disse que nunca puxou papo comigo pq sempre ficava sem graça perto de mim, não falei nada, mais confesso, adorei , elem de ele ser lindo , é gente boa , mais tecnicamente ele é meu irmão, ele disse que hoje a noite vai vim no meu quarto pra gente conversarmos, sei lá, vai que a gente se beija de novo, o que eu faço ?? abro a porta de noite ? e meu pai ? como vai encara isso , eu e o meu irmão tendo um caso ... aain mais ele é lindoo, fofo de maais ,,, aaaaaaaain socorrooooo